Correio do Povo

16/07/2017 18:42 - Atualizado em 16/07/2017 18:58

Esportes > Esportes

Vitória premiou postura do Grêmio no jogo, diz Renato

Técnico afirmou que Tricolor foi único time que quis vencer na Arena

Vitória premiou postura do Grêmio no jogo, diz Renato - Crédito: Mauro Schaefer
Vitória premiou postura do Grêmio no jogo, diz Renato
Crédito: Mauro Schaefer

Após vencer a Ponte Preta por 3 a 1, o técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, afirmou que o resultado foi um prêmio para o único time que buscou a vitória durante os 90 minutos. "Nós sabíamos que a Ponte Preta iria jogar daquela forma, igual ao Avaí. Infelizmente para a gente, eles acharam o gol no primeiro tempo. Mas o Grêmio merecia essa vitória, essa virada, porque foi quem procurou o placar. Foi um prêmio", resumiu.  Com esse resultado, o Grêmio diminuiu de 10 para oito a diferença para o Corinthians. Na avaliação de Renato, o clube não pode apenas se preocupar com o time paulista. "Acima de tudo, o Grêmio precisa fazer a parte dele. Não adianta só o Corinthians tropeçar, até porque outras equipes vão chegar. O Grêmio não pode tropeçar, até para se distanciar dos times que estão neste primeiro pelotão", explicou.    No começo da entrevista coletiva, Renato pediu a palavra e fez um pedido desculpa porque usou o termo despencar, quando na realidade queria dizer tropeçar ao falar da situação do Corinthians. Apesar disso, o técnico acredita que o time paulista ainda vai cair de produção. "Não tirando os méritos deles, mas não há equipe no mundo que comece tão bem e termine um campeonato longo como esse dessa forma. O Brasileirão nem acabou o seu primeiro turno. É uma competição difícil, com times perdendo jogadores por expulsão e suspensão e isso vai acontecer com o Corinthians", ressaltou.  Planejamento é jogo a jogo  Renato Portaluppi voltou a dizer que o Grêmio pode modificar a equipe nos próximos jogos por conta do desgaste físico e das competições paralelas. "Eu já falei para vocês, vai ter hora que teremos outra equipe jogando. Eu converso muito com o presidente e são cinco, seis cabeças, que decidem pelo clube. Tem dado certo. Quem muito quer, nada tem e é por isso que quando poupamos, não é porque estamos desdenhando de um campeonato. Nós queremos as três, mas se vamos conseguir as três, duas ou uma, eu não sei", finalizou. 

ESPORTES > correio@correiodopovo.com.br