Porto Alegre

20ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, domingo, 22 de Outubro de 2017

  • 04/07/2017
  • 00:31
  • Atualização: 00:47

Coreia do Norte dispara míssil balístico

Projétil caiu no Mar Oriental após voar cerca de 40 minutos

Projétil caiu no Mar Oriental após voar cerca de 40 minutos | Foto: Jung Yeon-Je / AFP / CP

Projétil caiu no Mar Oriental após voar cerca de 40 minutos | Foto: Jung Yeon-Je / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

A Coreia do Norte disparou nesta terça-feira um míssil balístico que caiu no Mar do Japão, informou a Coreia do Sul, dias após o presidente americano, Donald Trump, examinar com o novo líder sul-coreano, Moon Jae-In, a "ameaça" que Pyongyang representa.

O "míssil balístico não identificado" foi lançado de um sítio próximo a Banghyon, em Pyongan do Norte, uma província do oeste da Coreia do Norte, revelou o Exército sul-coreano em um comunicado. O míssil caiu no Mar Oriental, como os coreanos chamam o Mar do Japão, após "voar várias centenas de quilômetros", revela a nota, sem precisar seu tipo.

Uma porta-voz do ministério sul-coreano da Defesa disse à AFP que o míssil pode ter caído dentro da zona econômica exclusiva do Japão, a menos de 200 milhas náuticas de sua costa.

O chefe de gabinete japonês, Yoshihide Suga, informou que o míssil voou "durante cerca de 40 minutos", um período inusualmente longo. "Este lançamento de míssil balístico jamais poderá ser tolerado. O Japão protestou energicamente com a Coreia do Norte por isto".

O Comando dos Estados Unidos no Pacífico confirmou que a Coreia do Norte realizou mais um teste de míssil, um vetor de médio alcance lançado de terra, que foi rastreado durante 37 minutos e caiu no Mar do Japão.

O comunicado destaca que o tiro não representou uma ameaça para os Estados Unidos. O lançamento ocorre horas antes da comemoração do 4 de julho, a festa nacional de Independência dos Estados Unidos, e em meio a escalada da tensão em torno das ambições nucleares da Coreia do Norte.

Após sua reunião com Moon Jae-In, na semana passada, em Washington, Trump disse que a "ameaça" norte-coreana exige uma "resposta firme".