Porto Alegre

18ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

  • 08/08/2017
  • 08:42
  • Atualização: 09:33

Para Inter, primeiro turno está dentro do planejado

Na vice-liderança da Série B, equipe colorada viveu momentos de tensão há poucas rodadas

Direção optou pela manutenção de Guto, mesmo sob a pressão da torcida | Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

Direção optou pela manutenção de Guto, mesmo sob a pressão da torcida | Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Fabrício Falkowski

O primeiro turno, para o Inter, terminou dentro do planejado pelos dirigentes e muito melhor do que os fatos indicavam há apenas três rodadas. Antes das três vitórias consecutivas, que colocaram o time colorado na vice-liderança da Série B, o destino parecia bem mais perverso.

“Poderíamos estar em uma posição melhor? Sim, poderíamos. Mas chegar ao final do primeiro turno na vice-liderança nos permite concluir que o caminho está correto”, analisa o presidente Marcelo Medeiros.

Ele lembra que foi preciso, no início da temporada, um trabalho de reconstrução total do grupo. “Nunca imaginamos que seria fácil disputar a Série B e, principalmente, voltar para a primeira divisão. Sobretudo porque fomos obrigados a refazer o grupo contratando jogadores, recolocando outros. Também houve um trabalho de reconstrução anímica e da forma de jogar do time. Ou seja, em resumo, começamos quase do zero o ano”, continua o presidente colorado.

Mas o caminho foi complicado. O Inter começou com Antônio Carlos Zago e, após apenas três rodadas da Série B, demitiu o treinador. Veio Guto Ferreira, que também teve grandes dificuldades. Após a derrota para o Vila Nova, em Goiânia, em 22 de julho, por exemplo, a pressão pela demissão do treinador, por parte da torcida, de conselheiros e até por integrantes da diretoria, tornou-se quase insuportável. Porém, Medeiros e o vice de futebol, Roberto Melo, resistiram.

O Inter apostou na continuidade e, em seguida, colheu os frutos. Após o golpe diante do Vila Nova, vieram três vitórias consecutivas, que colocaram o time no G4 e na vice-liderança. “No futebol, não dá para se enfeitar. Ganhamos três jogos seguidos, uma sequência que ainda não tínhamos na competição. Porém, ainda estamos muito longe do nosso objetivo, que é voltar para o lugar de onde jamais deveríamos ter saído. Temos que continuar com a guarda levantada até o final”, continua Medeiros.

Situação financeira complicada

O presidente colorado confirma que a situação financeira do clube está bastante complicada e que, em tese, o clube precisaria vender pelo menos um jogador até o final da janela de transferência, em 31 de agosto, para injetar recursos extras nos cofres. Porém, além de algumas poucas sondagens, não houve uma proposta concreta por qualquer dos jogadores colorados. A esperança, porém, segue viva.