Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

  • 10/08/2017
  • 21:45
  • Atualização: 22:10

Odorico relata insatisfação de Espinosa, mas garante respeito ao ex-coordenador do Grêmio

Dirigente disse que clube não buscará substituto para cargo

Odorico relata insatisfação de Espinosa, mas garante respeito ao ex-coordenador do Grêmio | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

Odorico relata insatisfação de Espinosa, mas garante respeito ao ex-coordenador do Grêmio | Foto: Ricardo Giusti / CP Memória

  • Comentários
  • Correio do Povo

Um dia após a classificação para as quartas de final da Libertadores, o Grêmio perdeu seu coordenador técnico Valdir Espinosa, que foi demitido pela direção do clube nesta quinta-feira. Em um desabafo feito durante uma coletiva improvisada no gramado do CT Luiz Carvalho, Espinosa disse estar decepcionado com a direção gremista, excetuando o presidente Romildo Bolzan Júnior. Ao falar sobre o assunto, o vice de futebol Odorico Roman minimizou a situação, mas salientou que há respeito com o treinador campeão do mundo pelo Tricolor. 

"Quem prestou atenção nas entrevistas do Espinosa, viu que ele estava insatisfeito com o cargo. Temos o maior respeito com o Espinosa, mas são coisas do futebol. Aconteceu com o Roger, Fernandão e Rogério Ceni. É assim", disse Roman em entrevista à Rádio Guaíba. 

Questionado sobre a possibilidade de buscar um substituto para a vaga deixada por Espinosa, Roman foi sucinto. "Não iremos buscar ninguém para esse cargo. Estamos bem servidos no Grêmio", resumiu. 

A demissão de Espinosa agitou a tarde calma do Grêmio. A reapresentação dos jogadores acabou marcada pela saída do coordenador, que não escondeu a insatisfação e até chorou enquanto conversava com jornalistas. "Me mandaram embora do Grêmio. Hoje é o dia mais triste da minha vida", afirmou enquanto segurava as lágrimas. 

Espinosa ainda comentou que a decisão da sua saída partiu do vice de futebol, que queria que o desligamento fosse comunicado como se tivesse ocorrido de comum acordo. "Eu disse maneira alguma. Vocês estão me mandando embora, vamos acertar as contas. Eu vou dizer a verdade e espero que a verdade de vocês seja igual a minha", frisou. 

Valdir Espinosa chegou ao Grêmio em setembro do ano passado juntamente com o técnico Renato Portaluppi, com quem tem uma relação de amizade desde o título mundial de 1983. Ele, porém, afirmou que sequer conversou com o treinador sobre a demissão.