Porto Alegre

17ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de Agosto de 2017

  • 08/08/2017
  • 11:04
  • Atualização: 11:15

Empresário de Gatlin denuncia tratamento "desumano" da Federação de Aletismo

Atleta superou Bolt e foi campeão mundial dos 100 metros

Empresário de Gatlin denuncia tratamento inumano da Iaaf | Foto: Adrian Dennis / AFP / CP

Empresário de Gatlin denuncia tratamento inumano da Iaaf | Foto: Adrian Dennis / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O empresário do polêmico americano Justin Gatlin, campeão mundial dos 100 metros, denunciou na segunda-feira o tratamento "desumano" e "antiesportivo" por parte da Federação Internacional de Atletismo (Iaaf) e de seu presidente, Sebastian Coe, contra seu cliente.

Coe, que milita pelo banimento à vida de atletas reincidentes, declarou no domingo à emissora BBC que o triunfo de Gatlin, pego no doping duas vezes na carreira e suspenso por quatro anos entre 2006 e 2010, não era o "cenário ideal" para o esporte.

"Estou indignado", reagiu Ronaldo Nehemiah, empresário de Gatlin e ex-recordista mundial dos 110 metros com barreiras. "Não faço apologia ao doping, mas Justin Gatlin cumpriu sua pena, ele respeita as regras e a Iaaf o reintegrou. Isso de contar uma história na qual ele é o vilão não é justo. É inumano e antiesportivo".

"Lord Coe é membro da Iaaf que estabeleceu as regras e as punições. Quando você cumpre sua pena, você deveria ser reintegrado. Se eles não querem, então precisam mudar as regras", completou.


TAGS » Atletismo, Esporte, IAAF