Porto Alegre

14ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

  • 10/07/2017
  • 17:00
  • Atualização: 18:23

Teatro Bolshoi enfrenta críticas após cancelar estreia de balé

Instituição afirmou que havia imperfeições nos ensaios, mas motivo oficial é fortemente questionado

Bailarinos afirmam que peça foi adiada pelo seu teor sexual | Foto: Alexander Nemenov  / AFP / CP

Bailarinos afirmam que peça foi adiada pelo seu teor sexual | Foto: Alexander Nemenov / AFP / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

O Teatro Bolshoi da Rússia, um dos mais tradicionais do mundo, está lutando para acalmar uma tempestade de críticas após cancelar a estreia mundial de um balé inspirado na vida e obra de Rudolf Nureyev apenas três dias antes da noite de abertura. O espetáculo, intitulado com o sobrenome do célebre bailarino soviético morto em 1993, deveria ter sua primeira performance nesta terça-feira, com um grande número de críticos internacionais na audiência. Entretanto, no sábado, a instituição com sede em Moscou disse que a apresentação havia sido adiada por data indeterminada.

A bailarina Maria Alexandrova escreveu no Instagram: "A última vez que isso aconteceu no teatro foi na década de 1930, durante o Grande Terror de Stalin". Por conta das fortes críticas, nesta segunda-feira, o diretor-geral do Bolshoi, Vladimir Urin, anunciou que a estreia será realizada no dia 4 de maio de 2018, dizendo em uma conferência de imprensa que a decisão de cancelar a apresentação foi tomada por ele e pelo diretor artístico Makhar Vaziev devido às fracas performances nos ensaios. "Em termos de qualidade do balé, percebemos que era ruim", disse Urin, acrescentando que o gerenciamento do teatro era "completamente desanimado". 

Apesar da explicação oficial, membros da produção afirmam que o motivo real do adiamento é outro: a nudez de corpos masculinos presente no show. Um dançarino de "Nureyev", falando sob anonimato à Agência France Press, questionou a explicação pública do Bolshoi, dizendo que problemas durante os ensaios são parte do curso. "É por isso que na trupe, ninguém acredita que o balé foi cancelado por razões artísticas", disse, acrescentando: "Ninguém realmente acredita que será encenado um dia".

Urin insistiu que não havia "outras circunstâncias" por trás da decisão do teatro, mas ele reconheceu ter recebido uma ligação do ministro da Cultura Vladimir Medinsky, conhecido por seus pontos de vista conservadores. Medinsky teve uma "longa conversa com Urin, mas uma proibição não é o estilo de trabalho do ministério", disse sua porta-voz à agência de notícias estatal russa TASS, nesta segunda. Uma fonte próxima ao governo disse ao canal independente TV Rain que as apresentações foram canceladsa porque o balé era "sobre liberdade para os gays", o que iria contra as posições do governo.

A Rússia tem uma lei que proíbe a "propaganda gay aos menores", embora "Nureyev" tenha uma classificação especificando que é para espectadores de 18 anos ou mais em cartazes e ingressos. De acordo com a legislação, que a Corte Europeia para Direitos Humanos disse no mês passado que quebrava as regras do tratado europeu, qualquer evento ou ato considerado por autoridades como uma tentativa de promover a homossexualidade para menores é ilegal e punido com uma multa. O documento tem sido usado para impedir marchas de orgulho gay e deter ativistas do direito homossexual.

Urin afirmou que "definitivamente haverá argumentos" sobre o balé, já que Nureyev foi uma "figura ambígua com um destino complexo, e contar esta história será bastante difícil". Referindo-se à bissexualidade do dançarino, ele disse que percebeu que o balé tratava de um "tema que poderia levar a uma certa não aceitação de todo um número de pessoas", mas insistiu que "o conteúdo artístico permanecerá completamente inalterado". A estreia cancelada significa "perdas de reputação sem dúvida, mas para nós a qualidade do balé é mais importante", disse ele.

Este balé era um dos mais esperados do ano no país euroasiático devido ao legado de Nureyev, um dos mais celebrados bailarinos do século XX e o primeiro superstar homem do mundo da dança desde Vaslav Nijinsky. Em 17 de Junho de 1961, quando estava em turnê em Paris, ele quebrou a barreira da segurança soviética e pediu asilo de oficiais. Em 1989 ele dançou na União Soviética pela primeira vez desde que a abandonara e fez sua última aparição pública em outubro de 1992, como diretor. O espetáculo "Nureyev" foi criado por um dos cineastas mais inovadores da Rússia, Kirill Serebrennikov.