Porto Alegre

22ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, sábado, 21 de Outubro de 2017

  • 10/10/2017
  • 15:28
  • Atualização: 16:13

Feira do Livro de Frankfurt reúne importantes nomes da literatura mundial

Grande novidade do evento neste ano é a transmissão ao vivo de eventos com autores

Canadense Margaret Atwood será premiada no evento | Foto: Joe Scarnici / Arquivo AFP / CP

Canadense Margaret Atwood será premiada no evento | Foto: Joe Scarnici / Arquivo AFP / CP

  • Comentários
  • AFP e Correio do Povo

Margaret Atwood, Dan Brown e Nicholas Sparks estão entre os grandes nomes que marcarão presença na Feira do Livro de Frankfurt, a mais antiga do mundo e que se estende ao longo de mais de 500 anos. O evento inicia na quarta, mas nesta terça a chanceler da Alemanha Angela Merkel e o presidente da França, país homenageado desta edição, Emmanuel Macron, já abriram o pavilhão da nação convidada. A grande novidade deste ano é a transmissão ao vivo pelas redes sociais de palestras com os autores convidados, numa tentativa de atrair o que a organização chama de "geração Instagram".

Após a edição passada, focada em formas para que as editoras aproveitem novas tecnologias, como a realidade virtual e a impressão em 3D, os curadores voltam a colocar o foco em escritores e seus leitores. "Há um desejo de ver os autores, experimentá-los na vida real", disse a porta-voz da feira, Katja Boehne, aos repórteres antes do evento que deve atrair 270 mil visitantes até domingo, quando encerra. "O livro está mais vivo do que nunca", disse Boehne, descrevendo uma tendência crescente de fãs que fazem fila para ver seu autor favorito em uma atmosfera de "show pop".

A romancista canadense Margaret Atwood, cuja novela distópica de 1985 "O Conto de Aia" se popularizou com uma bem-sucedida série de TV, é um destaques. Ela será premiada com o "Prêmio da Paz" por seu corpo de trabalho. Nicholas Sparks, cujos mega-hits incluem "A Última Música" e "Diário de Uma Paixão", enquanto o escritor de filme histórico Ken Follett, a romancista irlandesa Cecelia Ahern e Paula Hawkins de "A Garota no Trem" também são atrações.

Contudo, o momento mais esperado ocorre no sábado, quando Dan Brown apresenta seu novo thriller "Origem" - o último livro da série "O Código Da Vinci" para uma audiência de 1.800 amantes da literatura. Os ingressos foram vendidos por cerca de R$ 90. "Um evento como este, que atrai cerca de 2.000 pessoas, não poderíamos ter feito isso no passado", disse o diretor da feira, Juergen Boos, acrescentando que planeja expandir massivamente o conceito nos próximos anos. "Nossa indústria simplesmente tem que pensar em imagem também, temos que tornar nosso negócio mais glamuroso", comentou.

Toque francês

A Feira do Livro de Frankfurt é a maior do mundo, trazendo mais de sete mil expositores de mais de 100 países. A nação homenageada França, encabeça essa lista, levando mais de 180 escritores para a Alemanha, incluindo alguns dos autores de língua francesa mais conhecidos do mundo. Entre eles estão o polêmico Michel Houellebecq, o novato escritor Edgard Louis, o romancista congolês Alain Mabanckou e a marroquina Leila Slimani, cuja obra "Doce Canção", sobre o assassinato de duas crianças por uma babá, chocou a indústria gráfica e lhe rendeu o Prix Goncourt, o mais importante prêmio da literatura francesa.

Macron e Merkel espalharão um pouco de segurança política sobre a extravagância literária quando abrirem o pavilhão francês na véspera da feira. "A presença da chanceler Merkel e do presidente Macron na abertura do Frankfurter Buchmesse simboliza a estreita relação entre a Alemanha e a França e seu compromisso com uma Europa forte e unificada", disse Boos.

A feira deste ano também será politicamente carregada de outras formas, com os organizadores planejando destacar as preocupações com a liberdade de expressão na Turquia, onde vários cidadãos alemães foram detidos no que a Alemanha descreveu como casos politicamente motivados que afligiram os laços entre Ancara e Berlim. O ex-editor-chefe do jornal de oposição turco Cumhuriyet, Can Dundar, que enfrenta prisão na Turquia, falará sobre escrever no exílio.