Porto Alegre

21ºC

Ver a previsão completa

Porto Alegre, terça-feira, 25 de Julho de 2017

  • 01/07/2017
  • 10:16
  • Atualização: 14:18

Paulo Betti relembra histórias de infância e juventude em sua autobiografia

Ator tem 64 anos de vida e 40 de carreira

Paulo Beti relembra histórias de infância e juventude em sua autobiografia | Foto: Mauro Khouri / Divulgação / CP

Paulo Beti relembra histórias de infância e juventude em sua autobiografia | Foto: Mauro Khouri / Divulgação / CP

  • Comentários
  • Vera Pinto

Com 64 anos e 40 de carreira, Paulo Betti conta histórias de sua infância e juventude em “Autobiografia Autorizada”, que escreveu e dirigiu, com Rafael Ponzi. O ator fala da importância do ensino público no espetáculo, que em Porto Alegre inclui um resumo de sua trajetória artística, com os principais personagens. Em cartaz no Theatro São Pedro (Praça da Matriz, s/nº), onde se despede domingo, às 18h, ele recepciona os espectadores, para divulgar seu filme “A Fera na Selva”.

Natural de Sorocaba, Paulo é o 15º filho de uma empregada analfabeta com um esquizofrênico, sendo sete sobreviventes, os demais morreram antes ou pouco após o nascimento. Seus avós vieram da Itália, um prometido ao outro e se instalaram em Rafard, no interior paulista, onde trabalhavam em uma fazenda, cujo proprietário era negro. “Era inédito e incomum um fazendeiro negro, mas pra mim era normal: eu tava na senzala olhando pra casa grande, que tinha um senhor negro”, diz. Ele cresceu em um lugar inóspito, espécie de quilombo e estudou em escolas públicas, ao que atribui seu sucesso.

Escritor contumaz quando jovem, aproveitou nesse trabalho os relatos de seus pais e irmãs e os artigos que publicou por 25 anos no Jornal Cruzeiro do Sul. Sua história de vida, que compartilha com generosidade, destaca o valor do trabalho social e fala da passagem do campo para cidade. Seu longa, que fez com a ex-esposa, a atriz Eliane Giardini, sobre o escritor Henry James, foi inscrito no Festival de Cinema de Gramado 2017, com possível lançamento nesta edição. O projeto envolve um curso de roteiro e, para divulgá-lo, o artista está pegando o e-mail do público por onde tem passado com a peça para enviar o material.